Artista faz réplica de Mustang 1969

Obra de arte foi criada pelo artista Jonathan Brand. Ele reproduziu até as porcas e parafusos do famoso veículo.

Um Ford Mustang 1969 feito inteiramente de papel foi exibido na quinta-feira (6) em uma galeria de Nova York, nos EUA. A obra de arte criada pelo artista Jonathan Brand, de 31 anos, reproduz até as porcas e parafusos e foi construído em tamanho real. Cada parte do veículo está sendo exibida de forma separada, ao invés de um único objeto, segundo a agência “Barcroft Media”. Ler mais deste artigo

Anúncios

Menino de apenas 2 anos cai em buraco de 3 metros

Criança de 2 anos brincava em obra em São João de Iracema, SP. Trabalho de resgate durou mais de uma hora; garoto não se feriu. Ler mais deste artigo

Tratamentos caseiros de beleza

Alguns produtos de beleza podem ser feitos por si com ingredientes alimentares. Certifique-se apenas de que estes são o mais naturais possível, de preferência biológicos. Ler mais deste artigo

Prepare um bolo de maçã fácil e saudável ApenasNoticias te ensina

Bolo de maçã

Ler mais deste artigo

Cabelo de Rihanna é a ‘marca da camaleoa’

Cabeleireiros analisam visuais da artista caribenha, que faz turnê no Brasil. Especialista diz que constantes mudanças ajudam a compor sua imagem.

Em relação à aparência, a cantora Rihanna segue a cartilha que foi consagrada por Madonna: mudar sempre para se manter em evidência. Ao longo dos últimos anos, os cabelos da cantora de Barbados passaram por tantas transformações que poucos se lembram do visual de longas madeixas cor de mel com o qual iniciou a carreira nos Estados Unidos.O cabeleireiro Mauro Brettas acredita que as constantes mudanças no visual ajudam a cantora a compor uma imagem de vanguarda. O também cabeleireiro Cláudio Ferraz define o cabelo da cantora como um item que agrada às mulheres. “O cabelo da Rihanna eu definiria como um cabelo difícil, porém alguns (cortes são) muito bonitos. Em matéria de cor, ele dita moda e muitas pessoas querem copiar.” Ler mais deste artigo

O que deve comer para se bronzear melhor, ApenasNotícias de da dicas

Embora não substituam o protector solar, alguns alimentos reforçam a proteção antioxidante natural da pele face aos raios UV.

“Que o teu alimento seja o teu medicamento”, dizia Hipócrates, o pai da medicina ocidental. E, na verdade, os alimentos são verdadeiras fontes de saúde, e até de beleza. Estes ajudam a proteger a pele exposta ao sol, de dentro para fora, complementando a acção dos protectores solares tópicos. E alguns até dão uma mãozinha ao bronzeado.

Carotenos

Presentes nas cenouras, papaias, mangas, beterrabas, alperces e vegetais de folha verde, estes pigmentos são o ‘ecrã solar’ das plantas. No nosso organismo reduzem os efeitos negativos dos raios UVB e podem activar o bronzeado.

Licopeno

Este carotenóide vermelho, que dá a cor ao tomate, pimento e melancia (ainda mais rica em licopeno do que o tomate), confere à pele uma protecção anti-UV equivalente a um SPF 3.

Cacau

Quatro vezes mais rico em fenóis e catequinas (dois tipos de antioxidantes) do que o chá, o cacau ajuda a proteger a pele das queimaduras e do cancro. Mas basta comer 20g de chocolate negro (sem leite) por dia para obter estes benefícios.

Chá verde e preto

A sua riqueza em polifenóis, um dos mais poderosos antioxidantes botânicos descobertos até hoje, dá ao chá o poder de reforçar a proteção natural da pele contra os radicais livres gerados durante a exposição ao sol.

Microalgas

A clorela e a spirulina, nomeadamente, contêm um carotenóide chamado astaxantina, 500 vezes mais poderoso do que a vitamina E, que protege não só a pele, mas também os olhos, face às radiações ultravioleta.

Vitamina C

Presente em frutos como a acerola, a goiaba, o quivi e todos os citrinos, esta vitamina previne o envelhecimento prematuro e o cancro de pele graças ao seu poder antioxidante.

Vitamina D

Esta vitamina, fabricada pelo nosso corpo sob a ação dos raios solares (porque eles não têm só efeitos negativos), é fundamental para a fixação do cálcio. Mas não só: tem também um efeito protetor contra alguns tipos de cancro, incluindo os da pele.

Brócolos

Contêm um antioxidante chamado sulfurofano, que, além de ter propriedades anticancerígenas, ajuda as células do corpo a protegerem-se dos efeitos negativos da radiação solar.

Ácidos gordos ómega-3

Presentes em peixes gordos, como o salmão e a sardinha, e no óleo de linhaça, estes ácidos gordos têm uma acção anti-inflamatória e ajudam a proteger a pele dos escaldões e do melanoma.

Água

Nunca pensamos nela como um alimento, mas a água é fundamental para a pele produzir o seu filme hidrolipídico de proteção, que a mantém hidratada, elástica e saudável.

Celular causa briga entre irmãs

Uma garota americana de 17 anos foi acusada de matar a tiros sua irmã de 14 após uma discussão por causa de um celular. O crime teria acontecido na casa em que as duas moravam, em Pensacola, Flórida.

Os investigadores afirmam que Elena Rendell, 17, entrou em uma briga com sua meio-irmã, Christina, 14, por causa do uso do telefone celular até que finalmente foi para um dos quartos da casa e pegou uma pistola 9mm com a qual efetuou um único disparo. Vizinhos dizem ter ouvido a menina correr de sua casa após o tiro, gritando por ajuda e dizendo que sua irmã havia sido baleada.

Elena foi presa ainda na casa e levada para um centro de detenção de jovens. O tiro acertou Christina no pescoço. Paramédicos levaram a menina para o hospital mas ela não resistiu aos ferimentos. Após a morte de sua irmã mais jovem, Elena viu as acusações contra ela se transformarem em um caso de homicídio em segundo grau sem esboçar nenhuma reação.

Julgada como uma adulta por haver arma de fogo envolvida, a menina pode enfrentar uma pena que pode chegar à prisão perpétua. O irmão de Elena, o Sargento Jason Rendell, apelou ao juiz que liberasse a menina sob seus cuidados. O juiz negou o pedido validou a condenação sob uma fiança de US$300 mil.

O caso é mais um sintoma de que o vício em telefones celulares pode ser considerado um problema grave na atualidade, o que fica claro nas consequências extremas a que pode levar pessoas privadas de seu uso.